Entrei no elevador e subi para ir olhar no berçário. Devia haver uma centena de recém-nascidos ali, atrás daquele vidro, chorando. Sem parar. Esse negócio de nascer. E de morrer. Cada um na sua hora. A gente chega sozinho e vai-se embora do mesmo jeito. E a maioria passa a vida sem ninguém, assustada e sem entender nada. Uma tristeza indizível tomou conta de mim. Vendo todas aquelas vidas que teriam que morrer. Que primeiro se transformariam em ódio, em crime, em nada. Nada na vida e nada na morte.
Charles Bukowski  (via acrescentada)
É sempre bom saber que você pode viver sem uma pessoa que julgava jamais ser capaz de viver sem.
Charles Bukowski. (via segredou)
Nós somos ridículos, levianos, cheios de maus hábitos, sentimos tédio, não sabemos olhar, não sabemos compreender, ora, todos nós somos assim, nós todos, e tanto os senhores quanto eu, quanto eles! Porque os senhores não vão ficar ofendidos pelo fato de eu estar lhes dizendo isto na cara, dizendo que somos ridículos! E sendo assim, por acaso os senhores não são material? Sabem, a meu ver, ser ridículo é às vezes até bom, até melhor: é mais fácil perdoar uns aos outros, é mais fácil fazer as pazes; não se vai compreender tudo de uma vez, não se vai começar diretamente pela perfeição! Para atingir a perfeição é preciso primeiro não compreender muita coisa! E se compreendemos muito rapidamente vai ver que não compreendemos bem.
Fiódor Dostoiévski - O idiota. (via delator)
Tinha um leve sorriso no rosto, como se guardasse um segredo em seu coração.
Nicholas Sparks. (via recontador)
O coração, minha filha, é um imbecil.
Paulo Leminski.  (via acrescentada)
Porque
fora disso
o que sobra
é loucura
e suicídio.
Charles Bukowski.   (via auroriar)